Início / Aviação / Comissário de Voo / Vida de Tripulante: dia do comissário de voo
comissaria-bruna-azul

Vida de Tripulante: dia do comissário de voo

Em homenagem aos comissários de voo que tem no mês de maio a celebração do Dia Internacional do Comissário de Voo, acompanhamos um dia na vida de um tripulante. Confira!

Mais um dia de trabalho.

Para quem tem um trabalho rotineiro, essa frase só expressa o comum. Já para um tripulante, a frase pode significar tanto uma viagem a Paris ou Nova York, como também um dia difícil após um pouso de emergência ou uma arremetida.

A profissão de comissário de voo é contraditória. Pode ser divertida e aventureira, frustrante e solitária. A escala de voo é, muitas vezes, desafiadora. Os hotéis nem sempre são atraentes. E os passageiros nem sempre tão passageiros assim.

04:53 Sábado: A Missão

Além dos voos e pernoites, a escala do tripulante determina também as folgas, reservas e dias de sobreaviso que terá que cumprir.

Quando está de reserva, o comissário ficará de uniforme no DO (Despacho Operacional), aguardando um possível voo a fim de cobrir a falta de um colega doente ou regulamentado. Já no sobreaviso, o comissário fica em local de preferência e, se “acionado”, terá um prazo para chegar no aeroporto e assumir o voo.

A história de nossa aeromoça começa no auge do seu sono num sábado de madrugada. Ela acordo com um telefonema da escala de voo às 04h53, dizendo que ela deve estar às 08:00 no aeroporto para realizar alguns voos.

mais cinco minutinhos…

A aeromoça não tem o costume de fazer isso, não pode jamais perder o horário da apresentação. Desta vez dormiu mais alguns minutos para levantar-se, tomar banho, um café, pegar o carro e dirigir até o aeroporto.

07:46 Sábado: Tripulação do voo

Ela chega no DO e apresenta-se à tripulação. O comandante reúne todos para o briefing, onde conferem a carteira de habilitação, regulamentação, meteorologia, situações de emergência e outros assuntos de interesse da equipe recém formada.

Este sábado seria legal. A primeira vez que a comissária voaria para João Pessoa, na Paraíba.

08:40 Embarque

A tripulação chega no avião cerca de 40 minutos antes do embarque para as atividades preliminares do voo, como o checklist dos equipamentos de segurança e a recepção da comissaria (comidas e bebidas).

Um dos comissários que irá lá atrás na galley verifica os equipamentos de emergência e provisões de bordo. Nossa aeromoça cuida da galley, recebendo alimentos e bebidas. Lá na frente, a chefe do voo junto com outra aeromoça recepcionam os clientes.

Os passageiros entram e acomodam-se. Um dos comissários permanece no corredor da aeronave, monitorando o espaço cada vez mais restrito nos bagageiros.

O embarque é um dos piores momentos para a tripulação. É nessa hora que muitos problemas podem começar. Em voos com mais de 75% de ocupação, é quase certeza que os espaços nos bagageiros serão bem disputados. A situação piora quando é voo de conexão ou voo internacional.

Este comissário também realiza a contagem de passageiros. Portanto, quando você ver um tripulante vindo lentamente pelo corredor silencioso movendo seus lábios, ou, por vezes, gesticulando suas mãos, ele está contando o número de pessoas à bordo. Pode parecer fácil, mas muitas vezes leva mais de uma conta para acertar.

Como encontra-se entre os passageiros, este comissário já orienta aos que estão sentados junto às saídas de emergência quanto ao manuseio da mesma em casos de evacuação.

Enquanto isso, nossa aeromoça está finalizando a conferência das refeições de passageiros e tripulantes, bebidas, gelo, etc. Feito isso, realiza também o anúncio de boas vindas, informando número do voo e destino.

Quando tudo já está ok, a chefe de cabine informa ao comandante o número de passageiros, que influencia na hora da decolagem, e fecha as portas do avião.

Portas em automático. Segue autorização da torre, e às 09:28 estamos voando.

10:12 Rotina

O comandante desliga o aviso de atar os cintos. Abastecemos o carrinho com bebidas, gelo e café e iniciamos o serviço de bordo. Para surpresa de ninguém, servimos o mesmo cardápio de sempre.

Após terminar o serviço e recolher o lixo, podemos comer nossas refeições. Alguns passageiros ocasionalmente levam copos e outros lixos para os comissários, outros conversam e outros vão ao banheiro. É preciso estar sempre atento às chamadas de comissários, ao comportamento dos passageiros, etc.

Durante o voo surge um problema. Nossa aeromoça conversava com uma passageira na primeira fileira quando percebe cheiro de cigarro vindo do banheiro. Ela é ágil na ação. Retira o passageiro do toalete, procura sem sucesso a bituca no lixo e joga água como precaução. Nossa aeromoça alerta o cliente que fumar no banheiro é uma violação de lei federal e plausível de multa. Ele volta para o seu lugar e a viagem prosegue.

12:13 Pouso

Pouco antes do meio-dia, o comandante avisa que estamos nos procedimentos de descida. Devemos deixar a cabine em ordem – checar cintos de segurança, mesas travadas e assentos na posição vertical.

Nossa aeromoça se dispõe a fazer esta conferência. Tudo ok. Agora é nossa vez de sentar e aguardar apreensivo o pouso. Se algo pode acontecer errado será na decolagem ou no pouso, por isso em ambos os momentos é fundamental que a cabine de passageiros esteja em perfeitas condições caso tenhamos que evacuar a aeronave.

12:49 Pernoite

Após o desembarque de todos os passageiros, é vez da tripulação descançar. Pegamos nossas malas e nos dirigimos ao hotel.

Temos sempre, no mínimo, 12 horas de descanso após um dia de trabalho. Hoje foi fácil, fizemos apenas um “perna” (trecho voado). João Pessoa é uma cidade muito agradável e a tripulação já combina de sair à noite para jantar e tomar um sorvete. Antes disso, nossa aeromoça irá aproveitar para ir à praia e conhecer um pouco a cidade.

21:00 Hora de dormir

Nossa aeromoça adorou a cidade, mas por hoje é só. Ela tem que ir dormir cedo. No dia seguinte deve estar de pé antes das 4:00 para se arrumar, tomar café e encontrar o restante da tripulação na recepção do hotel às 5:19. A aviação não permite atrasos. Perdeu o horário, pode perder o voo e o emprego também.

A história acima é uma ilustração de como é o dia-a-dia de um comissário de voo. Nem sempre é simples assim, mas para quem ama o que faz, tudo fica mais fácil e todo voo acaba sendo único.

O Meio Aéreo deseja Feliz Dia do Comissário de Voo aos nossos leitores!!!

Bons voos!!

Gostou? Envie sua história! Ela pode ser publicada!

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*