Início / Aviação / Pilotos / Piloto Agrícola: salário na aviação agrícola
aviacao-agricola-2015

Piloto Agrícola: salário na aviação agrícola

O que é Aviação Agrícola? Neste artigo esclarecemos dúvidas sobre uma aviação de suma importância para o setor rural e um bom campo de trabalho para quem gosta de pilotar aviões menores.

A Aviação Agrícola é um serviço especializado, regulamentado pelo Ministério da Agricultura e do Abastecimento e pelo Ministério da Aeronáutica.

A aviação agrícola foi inventada pelo agente florestal alemão Alfred Zimmermann em 29/03/1911 mas só teve aplicação comercial nos EUA, em 1921. Os voos eram realizados com a ajuda de um 2.º passageiro que jogava o inseticida do avião de um saco.

As técnicas modernas de aplicação, como a do Baixo-Volume (10 a 30 l/ha) só iniciaram a partir de 1943, sendo que o primeiro avião projetado para o uso agrícola foi o AG-1, desenvolvido em 1950 nos EUA.

Dentre as atividades de um piloto agrícola está a aplicação de defensivos, uréia granulada, semeadura de pastagens e coberturas, reflorestamento, povoamento de lagos e rios com peixes, além de auxílio à saúde pública no combate a doenças endêmicas e outros serviços que não seriam possíveis sem o avião agrícola.

Aviação Agrícola prosperou no Brasil em 1947, após uma nuvem de gafanhotos atacarem diversas plantações na região de Pelotas, Rio Grande do Sul.

Foi em Pelotas que aconteceu o primeiro voo agrícola no País no dia 19 de agosto daquele ano. A Aeronave MUNIZ, modelo M-9, bi-plano de fabricação nacional, prefixo GAP, monomotor de 190 HP, autonomia de voo de 4 horas, equipada com depósito metálico, constituído em dois compartimentos em forma de moéga e dosador próprio, controlado pelo piloto com capacidade de carga de aproximadamente 100 kg, com o apoio técnico do Engenheiro Agrônomo Leôncio Fontelles, realizou a aplicação de BHC nas plantações.

Este dia foi instituído como o Dia Nacional da Aviação Agrícola (19/08), e o piloto civil Clóvis Candiota (foto), que realizou o voo, é considerado o Patrono da Aviação Agrícola.

No ano de 1950, iniciaram as aplicações aéreas de BHC na cultura do café, em São Paulo pela recém criada “Patrulha de Tratamento Aéreo” do Ministério da Agricultura (PATAE).

Na década de 70 houve um grande desenvolvimento nos trabalhos de aplicação aérea. Nos anos seguintes ocorreu a decadência do serviço pela falta de tecnologia.

Já nos anos 90, alguns trabalhos de aplicação aérea de agroquímicos voltaram a crescer acompanhando o desenvolvimento das culturas da soja e do algodão no cerrado dos Estados do Mato Grosso e Goiás.

Com o início dos anos 2000 muitas novas tecnologias começaram a ser utilizadas pela aviação agrícola no Brasil. Novas pontas de pulverização foram desenvolvidas, novas barras de pulverização aerodinâmicas, aperfeiçoamento dos equipamentos nacionais e o GPS.

De todas essas novas tecnologias foi o GPS a que mais se destacou, pois funcionou como um certificado de garantia de boa aplicação e, com certeza, foi responsável pelo fechamento de muitos contratos de aplicação aérea com muitos produtores.

Atividades Exercidas pela Aviação Agrícola:

  • Emprego de defensivos agrícolas, sólidos e líquidos
  • Emprego de fertilizantes
  • Semeadura
  • Povoamento de águas
  • Combate a incêndios
  • Combate a vetores
  • Nucleação de nuvens e outros

Quanto ganha um piloto agrícola?

Em geral, um piloto agrícola ganha por produção individual. A média gira em torno de 20% do produzido e faturado BRUTO pela empresa proprietária da aeronave que ele pilota.

Há uma variação de acordo com a região do país e o tipo de serviço (pulverização de herbicidas, inseticidas, fungicidas ou fazendo adubações e semeaduras). No Brasil, utiliza-se a aviação agrícola especialmente em culturas de soja, arroz, trigo, algodão, banana e cana-de-açúcar.

No Brasil existem atualmente cerca de 1.500 aviões agrícolas em operação. O mercado potencial para essas aeronaves ultrapassa 10.000 unidades.

Nos próximos anos teremos um grande desenvolvimento de novas tecnologias na área de aplicação com aeronaves agrícolas no Brasil. Empresas fabricantes de aviões agrícolas e equipamentos do Brasil e de outros países buscam explorar melhor o potencial da aviação agrícola no país.

Vagas na Aviação Agrícola

No começo do ano passado divulgamos algumas vagas para piloto agrícola em aeronave Ipanema, com a aplicação de agroquímicos e  defensivos agrícolas durante o voo. Geralmente, exige-se experiência, além do Curso de Aviação Agrícola. O salário de R$ 1.300,00 + periculosidade e comissão de 18% sobre o faturamento. As vagas eram para Sinop (MT), Caarapo (MS), Balsas (MA) e .

2 Comentários

  1. Kleyser Friedrich Fritz

    Minha família foi da região de Bento Gonçalves Rs. Meu pai em 1945 possui aeronave a onde ajudou em pulverizações agrícola, onde existia o bandeirinha. Hoje tenho filho que em breve recebe sua carteira do CAVAG, é apaixonado por aviação agrícola, desde os dezesseis anos que pilota o Aéro Boero AB-115, quando completou dezoito anos fez voo solo ai não parou mais, tem dezenove anos, que até julho/2017 esteja juntos nos meios da aviação agrícola, ajuda no ou piloto.
    Gostaria de receber informações sobre este mercado.
    desde já agradeço.
    Att.
    Fritz

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*