Início / Viagens / Como escolher o melhor seguro viagem?

Como escolher o melhor seguro viagem?

Voando como comissário de bordo nunca me preocupei com seguro de viagem pois é algo que a empresa aérea sempre cuidou nos voos.

Quando fazemos viagens internacionais, mesmo que voos apenas para destinos no Mercosul, como Argentina, Peru e Chile, ao fazermos o check-in no hotel recebemos orientações sobre o plano de assistência local.

Talvez por estar acostumado a sempre estar coberto, quando viajo de férias também julgo essencial no planejamento de uma viagem Internacional.

Tenho amigos, como é comum entre os brasileiros, que não se importam com este item. É um problema já que muitas vezes as regras são complicadas, há sempre exceções de cobertura e você acaba desistindo por achar complicado. Não entende, não tem interesse.

Outro problema recorrente no que se refere ao assunto de seguro viagem é que muitas vezes o viajante deixa a decisão para outros.

Quero dizer que muitos acabam optando simplesmente pelo seguro básico de um cartão de crédito internacional (Bradesco, Mafre, Visa), da agência de viagens ou do agente de viagens. Não deixe isso acontecer na sua viagem. Leia abaixo algumas considerações de quem entende um pouco do assunto para tomar a sua decisão e escolher o melhor seguro para a sua viagem em 2016.

Você não precisa ser um expert no assunto, entender a fundo todas as regras. Basta reservar um tempinho, pensar no seu roteiro e entender o que cada cobertura tem a oferecer ou não para a sua viagem.

A dica é ler atentamente e comparar as regras de cada seguro viagem. Lembrando que toda cobertura, independentemente da seguradora, tem as suas regras.

Por isso, mais uma vez, não é preciso saber a fundo, mas simplesmente ler e anotar o que tem dúvida. É um processo meio chatinho, mas necessário para evitar dores de cabeça durante ou após a viagem internacional.

Geralmente as regras de cobertura possuem muitos termos técnicos. Se você tiver dúvida de alguma palavra, procure no dicionário ou faça uma pesquisa no Google. É importante perder um tempinho na leitura das regras. Esta etapa será fundamental na hora de escolher o melhor seguro viagem para o mochilão 2016. =)

Um item importante é o valor das coberturas. Hospitais de qualidade e particulares são caros em todo o planeta. Em países como Estados Unidos, por exemplo, qualquer consulta ou tratamento médico particular é muito caro.

E é aí que muitos viajantes cometem erros. Você economiza alguns centavos na cobertura, e se precisa, pode ver que aqueles centavos podem custar muito dinheiro. Portanto a dica é não economizar.

Antes de ser comissário, trabalhei em assistência médica e a máxima que usávamos para vender os planos era de que “ninguém contrata um plano de saúde com a intenção de usar”, por isso vale a pena pagar um pouco mais por uma cobertura melhor. Na hora que precisa (que você nunca espera) é que dá o valor aos centavos.

Brasileiro não está muito acostumado a contratar seguros, e é normal NÃO USAR. Aliás, ainda bem. Agradeça se não usar, mas esteja preparado caso necessite.

Se o seu destino é Europa, atenção para os países que fazem parte do Schengen. Estes países da União Européia que fazem parte do Acordo de Schengen obrigam os turistas a contratarem cobertura de no mínimo 30 mil Euros.

Ou seja, se você for viajar para cidades na Alemanha, França ou algum dos outros 27 países que fazem parte do tratato, será solicitado o seguro na hora da alfândega. (Na verdade nem todos os países exigem como item obrigatório, mas como é algo essencial, não deixe de contratar um seguro seja lá para onde você for viajar).

Uma dica é que brasileiros que viajam para alguns países que possuem acordo com o Brasil, como é o caso de Espanha, Itália e Portugal têm direito à assistência médica (desde que inscritos no INSS). Para aproveitar este benefício é necessário um certificado (CDAM – Certificado de Direito a Assistência Médica) emitido pelo Ministério da Saúde. Saiba mais informações aqui.

Agora, você quer uma dica? Mesmo que vá viajar para algum destes países acima, e emita o CDAM, faça também um seguro viagem. É uma garantia a mais para a sua viagem internacional não se tornar um pesadelo. Acontece alguma coisa em algum lugar não coberto e pronto, lascou-se!

Vamos falar das exclusões? Fique atento ao que não cobre para saber qual seguro viagem contratar para a próxima viagem.

Seguros não cobrem doenças originadas de epidemias, como por exemplo, Dengue, Febre Amarela e Malária, bem como acidentes ou desastres naturais. Doenças Pré- Existentes também não são cobertas. Fique atento e tenha sempre um laudo médico atestando a sua saúde.Para os amantes de esportes radicais, fique atento se o plano contratado cobre a prática de algum esporte durante sua viagem.

Dicas na hora de comprar o seguro viagem

Contratou um seguro viagem? Imprima ou envie uma cópia do comprovante para o seu e-mail. Deixe na carteira um papel com o telefone de emergência e também com algum parente no Brasil.

Antes de contratar, cheque se seguradora possui serviço 24 horas (em português). Confira também se o plano cobre bagagem extraviada, perda de vôos, dentre outras frustações de viagens.

No mais, boa viagem!

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*