Início / Aviação / Comissário de Voo / Emirates Cabin Crew: como é ser comissário em Dubai?
Cabin Crew Emirates 2015

Emirates Cabin Crew: como é ser comissário em Dubai?

Continuando a série de entrevistas sobre a cidade de Dubai e comissários de voo da Emirates Airlines, apresentamos agora um pouco mais sobre a visão de um comissário de voo brasileiro que trabalha na Emirates.

O entrevistado desta vez do Portal Meio Aéreo é Júlio Calegari, 31 anos, paulistano, e trabalha na Emirates há quase três anos.

Júlio Calegar

Idade: 31 anos

Cidade natal: São Paulo

Cidade onde nasceu: Sao Paulo

Antes de trabalhar na Emirates você já era comissário de voo?

Não era comissário, mas trabalhei durante seis anos na Varig no aeroporto de Guarulhos (GRU) com atendimaneto a passageiros (embarque, check in , editing e atendimento especial), além de 2 anos na SATA como representante comercial para os aeroportos de Guarulhos (GRU), Viracopos (VCP) e Congonhas (CGH).

Qual foi o momento mais difícil da sua seleção na Emirates?

A seleção em si não é muito difícil, pois são apenas dinâmicas de grupo e não há nenhum teste específico de conhecimento. O complicado é que você nunca sabe o que é que estão analisando em você. É extremamente difícil dizer o critério utilizado, ou seja, não há como saber por que você passou e outra pessoa não conseguiu passar.

Quando soube que conseguiu o emprego, qual foi sua reação? Houve algum motivo que o fizesse pensar em desistir de ir morar em Dubai?

Fiquei muito feliz em conseguir a vaga, ainda mais que meu emprego na SATA já estava na corda bamba principalmente por causa da crise da Varig, mas o problema foi que eu e minha esposa chegamos juntos na entrevista final e apenas eu passei para vir para Dubai. Isso foi o que me deixou triste.

A Emirates tem 27 prédios na cidade para alocar seus funcionários e em todos sempre tem sala de ginástica e piscina!

Divido a moradia com outro brasileiro. O apartamento é localizado em um bairro bom e com comércio próximo, além de ser bem perto do aeroporto. Tenho meu quarto e banheiro (com banheira) próprio e que posso trancar sempre que quiser sair. A sala e a cozinha são comuns para nós dois e bem maiores do que a do nosso apartamento em São Paulo.

O apartamento é todo mobilhado e você ainda ganha na chegada um kit com comida para a primeira semana, utensílios para cozinha (panelas, pratos, talheres, etc) e uma grana para comprar outras necessidades!

Tenho ainda uma linha telefônica com ligações locais grátis. Não tenho o que reclamar, só sinto falta da minha esposa!

Conte um pouco (brevemente) como é o treinamento no Emirates Aviation College. Quanto tempo dura, há muita reprovação, é muito difícil?

Não vou dizer que é fácil, mas o nível de reprovação é praticamente zero. A verdade é que todo mundo estuda muito e ninguém quer ser reprovado. Lógico que para os nativos de língua inglesa a questão do idioma ajuda bastante, mas mesmo assim acho que até melhorei meu vocabulário durante o curso. São inicialmente 3 semanas de seguraçaa de voo e aeronaves, 1 de primeiros socorros e as 2 últimas são específicas de servico de bordo.

Quais são as características que um comissário da Emirates deve ter?

Primeiro tem que gostar de viajar e lidar com público. Tem que ter muita paciência e jogo de cintura, pois lidamos com pessoas de todas as classes sociais e de diversas culturas diferentes. Conhecer outros idiomas também ajudará muito no trabalho.

O que a empresa mais valoriza em seus funcionários?

Conhecimento de idioma em determinadas rotas é importante, mas o que mais se fala em todos os voos, é a importância de bom trabalho em equipe, empatia e comunicação. Tudo isso aliado a boa motivação para o trabalho ajudam a ter um bom voo.

A Emirates é realmente uma empresa incrível! Eles tem apenas 25 anos e já voam para 94 destinos com uma tripulação com funcionários de mais de 120 paises.

Para ser comissário na Emirates a pessoa não pode:

Não pode ter tatuagem visível ou cicatriz grande aparente.

Precisa ter a altura minima (tem que conseguir alcançar o compartimento superior de bagagens).

Precisa ter inglês fluente.

Quais idiomas você fala? Arrisca algo em árabe?

Falo fluente inglês, francês, italiano, espanhol e esperanto. Me comunico razoavelmente bem em alemão, chinês e polonês. Meu árabes ainda é fraco, mas já consigo ler e escrever e neste fim de ano quero entrar num curso para melhorar a conversação.  Vale lembrar que aqui em Dubai, uma vez que é possível sobreviver muito bem só com o inglês, praticamente ninguém tenta aprender árabe. Após mais de um ano, só conheci 2 comissários que aprenderam árabe aqui.

Qual a nacionalidade predominante entre os comissários na Emirates?

Ingleses, Australianos, Filipinos, Coreanos, Indiano, Libaneses e Egípcios.

Quais destas nacionalidades você tem maior afinidade? E a de menor? Porque?

Gosto muito dos filipinos e coreanos e inclusive já aprendi muitas frases no idioma deles – o que ajuda muito a ter um maior entrosamento a bordo.

Não gosto de generalizar negativamente, mas de fato ha sempre um certo estereotipo de algumas nacionalidades.

Você encontra frequentemente com outros comissários brasileiros?

Quando comecei a trabalhar aqui, há dois anos atrás, éramos apenas 40. Hoje somos mais de 300, isso sem contar os pilotos e co-pilotos (em torno de 80). Posso dizer que a cada 3 voos, ao menos um há outro brasileiro na tripulação. No voo para Guarulhos (GRU) tem sempre pelo menos 3 brasileiros a bordo.

Quantas vezes no ano consegue vir ao Brasil?

De férias consigo ir 2 vezes por ano. Sendo uma delas com bilhete pago. Já a trabalho, faço o voo de GRU 1 ou 2 vezes todo mês – mas neste caso, só fico 28 horas em solo brasileiro.

Do que mais sentia falta no começo? E agora já se acostumou?

Dubai é uma cidade bem cosmopolita que você praticamente encontra de tudo por aqui. Lógico que o que eu mais sentia falta era da minha esposa, mas depois de 5 meses, ela veio morar comigo. Também sinto saudades da família, mas como sempre vou para o Brasil, fica fácil de encontrá-los.

Mesmo assim, tenho que admitir, sinto falta de uma boa pizza brasileira bem recheada, açai na tigela, torta de palmito, comer pastel com garapa e comprar frutas frescas na feira. São coisas simples, mas que a gente só valoriza quanto não tem mais. Acredite se quiser, às vezes sinto falta de chuva ! Aqui em Dubai só garoa 5 a 10 vezes por ano. E mesmo assim, alaga!

Quais são seus destinos preferidos? E os que menos gosta? Por que?

Adoro ir para Itália, Ilhas Maurício e Malta, mas nem sempre consigo fazer os voos que gosto. Temos muitos voos cansativos de bate e volta, como Istambul e Dhaka e outros de pernoite, que não são dos mais agradáveis, tal como Lagos, na Nigeria!

O que costuma fazer em suas folgas?

Quando consigo mais de 3 dias seguidos, costumo ir viajar para outros países, principalmente para jogar ou ensinar tchoukball. Se fico em Dubai, saio com minha esposa e amigos brasileiros. Vamos muito a praia, jogar vôlei, boliche, patinar no gelo e às vezes vamos passear no deserto e oásis (piscinas naturais de Hatta).

Melhor lugar para passar as férias?

Tailândia e Brasil !

O que há de melhor para se fazer em Dubai?

Todo turista que vem aqui pela primeira vez tem que ir ver os prédios e construções malucas e fazer shopping. Como já estou morando aqui há mais de 2 anos, então levo uma vida normal, saindo com amigos, indo à praia e fazendo esporte.  Na verdade, uma das coisas que gosto muito aqui é que a gasolina é muito barata, não há consumação mínima nos bares e não tenho que pagar impostos.

 Tem ideia de voar no A-380?

Os voos com o Airbus A-380 começaram em agosto de 2008 com a rota para Nova Iorque. Eu a principio não estarei fazendo esta aeronave por agora, pois são poucas rotas, mas depois quero tambem poder voar com este avião.

Seu contrato está quase no final, quais são seus planos? Há chances de crescer dentro da companhia, inclusive para outros cargos que não sejam em voo?

Os contratos aqui são de 3 anos, mas isso é só por questão de legislação. A renovação é automática. Tenho intenção de ficar por vários anos aqui, ainda mais que depois de um ano e meio já passei para classe executiva e pretendo logo ir para primeira classe e depois para chefe de equipe. Há plano de carreira para quem quer crescer na empresa e isso é muito bom e bem mais rápido que em outras empresas.

Que mensagem você deixa para aqueles que querem ser comissários na Emirates.

Eu que nunca pensei em ser comissário, estou adorando a profissão e benefícios que ela me proporciona. É uma experiência fascinante e está a alcance de todos. Participe da entrevista e se não conseguir da primeira vez, tente novamente! Persista! Conheço gente aqui que só conseguiu na quarta vez e que agora está feliz por estar aqui!

Muito obrigado, Júlio!

Convidamos todos nossos leitores que leiam mais histórias e causos no juliocalegari.blogspot.com. Destacamos alguns posts, como “Formatura“, “Meus primeiros voos“, “Só aqui em Dubai mesmo“.

1 Comentário

  1. Inspirador!
    Achei bacana que o Julio não se contentou apenas em saber o inglês… Mostra que se acomodar não é a única opção. Legal 😉

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*