Início / Viagens / Dicas de viagem em Jericoacoara, no Ceará
jericoacoara-2015

Dicas de viagem em Jericoacoara, no Ceará

Jericoacoara, a vila que faz parte do município de Jijoca de Jericoacoara, no Ceará, fica a 320 km do aeroporto de Fortaleza, o aeroporto mais perto do Parque  Nacional de Jericoacoara.

Da capital do Ceará, existem empresas que oferecem voos de helicóptero até Jericoacoara. O voo de Fortaleza para Jeri demora cerca de 1 hora.

Em 2014, deve ser inaugurado o Aeroporto Internacional de Jericoacoara. O aeroporto está localizado no município de Cruz, a 18 km de Jijoca de Jericoacoara, e a 25 km da praia de Jericoacoara.

Enquanto o  Aeroporto Internacional de Jericoacoara, a melhor forma de chegar em Jericoacoara via aérea é comprando passagens aéreas para Fortaleza.

De Fortaleza, dá para ir de ônibus até Jijoca de Jericoacoara e, depois, de jardineira, um ônibus adaptado que demora 1 hora para cruzar 20 km em uma estrada de areia, até a vila de Jeri.

Algumas empresas oferecem transfer para Jericoacoara a partir do Aeroporto de Fortaleza.

No meu mochilão pelo Nordeste de 40 dias em novembro e dezembro de 2013, programei ficar uma semana em Jericoacoara e passei quase 15 dias.

Muita gente dá uma esticadinha nesse lugar mágico no litoral do Ceará, um dos cenários mais bonitos do mundo protegido pelo Parque Nacional de Jericoacoara.

Além do cenário deslumbrante da praia de Jericoacoara, abraçada pela Duna do Pôr do Sol, Jeri tem outras atrações que merecem estar no roteiro dos mochileiros. São atrações naturais e iniciativas que fazem a fama de Jeri.


Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso

As duas lagoas fazem parte do mesmo roteiro de bugue a partir do centro da vila de Jeri — um passeio que sai por em torno de R$ 50 por pessoa. Os nomes das lagoas se justificam. As lagoas são lugares paradisíacos, com aquelas redinhas colocadas nas águas tranquilas para descansar dentro da água.


Tatajuba e Lagoa da Torta

Outro passeio imperdível de bugue, que passa pela duna do Funil, um dos melhores lugares para o famoso esquibunda, antes de chegar a Lagoa da Torta, onde várias barracas servem peixes e frutos do mar frescos por bons preços, com mesas dentro da água.

Tatajuba era uma vila que foi soterrada pela areia e os moradores ergueram Tatajuba Nova nas redondezas.


Pedra Furada

Eu recomendo ir pelo menos duas vezes à Pedra Furada: uma pelo serrote, o morro que protege a vila de Jeri dos fortes ventos, e tem um caminho bem fácil, e  outra pela beira da água –mas tem que ficar de olho na maré. Também dá para ir com a maré cheia percorrendo o paredão e as dunas que margeiam as praias, mas é beeeem cansativo.


Pedra do Frade

Caminhando poucos minutos para a frente da Pedra Furada fica a praia da Pedra do Frade. Apesar de perto da Pedra Furada, a Pedra do Frade não é tão visitada –as vezes que eu fui, a praia estava deserta e deu para aproveitar bem o mar e a sombra da pedra.


Praia da Malhada

A praia da Malhada é a segunda praia mais importante de Jericoacoara e fica a 15 minutos a pé do centro da vila. É uma praia de areias cor de laranja com coqueiros que formam um cenário bem diferente e bonito. Era a praia que eu mais gostava de ficar em Jeri. Fica linda quando o sol nasce.


Igreja de Pedra

A igreja de Jeri é uma simples construção feitas retiradas do Serrote antes da área tornar-se preservada pelo Parque Nacional de Jericoacoara. Fica a 5 minutos de caminhada da rua principal e é imperdível.


Forró da Dona Amélia – Quartas e sábados

É uma das casas de forró mais famosa do Brasil e fica, claro, na rua do Forró. Com show ao vivo, começa a esquentar depois da meia-noite. Custava R$ 15 e vale a pena ver, mas… as pessoas vão realmente para dançar forró e quem não dança (eu) começa até a sentir vergonha de ficar bebendo cerveja nas laterais da pistinha.


Padaria Santo Antônio

Uma pérola de Jeri. A padaria abre as duas da manhã e fecha quando os pães de diversos recheios assados em um enorme forno a lenha acabam, lá pelas 5 ou 6 da manhã.

O lugar não é só frequentado pelos muitos baladeiros de Jeri: os pães são tão incríveis que muita gente acorda de madrugada para comer quentinho ou de manhã.

O melhor horário para ir é as duas. As vezes que fui a partir das 3, estava lotada. E depois das 4h30, 5h, tinha poucas opções de pães.

É super-barato e se você pede café, a garrafa térmica fica na mesa. Uma delícia.

As dicas foram enviadas pelo Gustavo Farias do blog Muita Viagem. | Foto: Grupo de Viagem

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*