Início / Viagens / Dicas para viagem com crianças e bebês

Dicas para viagem com crianças e bebês

Chega fim de ano e as famílias com crianças e bebês começam a se preocupar com a viagem de férias de réveillon que farão com seus filhos, sejam bebês ou crianças pequenas.

Não importante se você vai viajar de avião ou até de carro para um hotel fazenda para crianças ou um lugar para ir no réveillon com bebê. Vamos falar no artigo abaixo sobre as viagens de final de ano para as famílias que querem levar seu bebê ou filho menor de idade.

A primeira dica é antes da viagem, ou seja, no planejamento da viagem. A primeira pergunta é “a partir de que idade o bebê pode viajar de avião?”

Geralmente, as companhias aéreas não aceitam recém-nascidos até 7 ou 10 dias de vida. O ideal é que você consulte a agência antes de comprar as passagens aéreas em promoção para o réveillon 2015.

Ainda quem eles aceitem, qualquer tipo de passeio antes dos 2 meses, envolve riscos. O bebê é muito pequeno, ainda não tomou as vacinas que começam a protegê-lo. Lembre-se que ficar em um ambiente fechado, como é o avião, com várias pessoas respirando o mesmo ar, não faz bem para um bebê pequeno.

O melhor seria programar esse tipo de viagem para depois dos 3 meses. Se você não teve escolhe, ou é uma urgência, evite que outras pessoas fiquem muito próximas, pegando no colo, ou beijando o bebê.

– Dicas para viagem de avião internacional com bebês e crianças de colo

Passagens aéreas para viagem de avião

Bebês menores de 2 anos não pagam passagem, pois são considerados bebês de colo, e não ocupariam um lugar. Algumas empresas cobram uma taxa que pode ser de até 10%, outras nem cobram. Na hora de comprar sua passagem você deve informar a idade da criança e seus dados.

Se você quiser pode comprar uma passagem para o bebê também. E seria usado um bebe conforto homologado para uso em avião no assento dele. Tudo isso deve ser pedido com antecedência.

Sempre que possível, escolha voôs diretos. Ainda que pague mais caro, é melhor do que ter que ficar descendo com o bebê, esperando, atrasando mais ou com risco de perder a escala. Tudo isso só gera stress.

Reserve os assentos da primeira fila. Para bebês pequenos as empresas oferecem um “bercinho” que se acopla na parede. Pode ser cobrado uma taxa pelo serviço, mas tem empresas que não cobram. Pergunte ao comprar a passagem. Cada empresa usa um modelo diferente, e varia o limite de peso ou altura que o bebê deve ter. Informe-se com a empresa e solicite com antecedência para não ter problemas, e ligue confirmando um dia antes, para que eles não esqueçam. Durante o pouso, decolagem, e quando a luz de apertar os cintos estiverem ligadas o bebê deverá ficar no seu colo. Mas, nas outras horas, será de grande ajuda ter um bercinho para ele dormir e você se esticar um pouco.

Procure viajar sempre com um acompanhante. Você vai precisar, em algum momento, ir ao banheiro, comer alguma coisa, se tiver alguém que te ajude nesses horas e olhar o bebê é ótimo. Nunca confie seu filho à um desconhecido ou alguém que você acaba de conhecer.

Olho na Burocracia:

Não se esqueça que além da documentação da criança, certidão ou passaporte, é preciso autorização escrita com firma reconhecida do pai, se este não for viajar junto, para as viagens internacionais. Os passaportes atuais já podem ser emitidos com a autorização de viajar acompanhado apenas com mãe ou pai.
Muitas pessoas esquecem disso, e ainda que o pai esteja junto falando que permite a viagem não adianta.

Seguro de Viagem:

Principalmente em viagens internacionais é obrigatório. Um seguro que garanta que você e o bebê terão assistência médica, caso seja preciso, no local do destino.

Em viagens nacionais, em teoria não é necessário. Mas se seu plano de saúde não é nacional, e você vai para outro estado, pense se vale a pena contratar um seguro de viagem que te dê essa facilidade. Ninguém quer precisar de médico ou hospital durante uma viagem, mas viajando com um bebê é sempre bom saber com quem você poderá contar em caso de urgência.

O grande problema – As Malas:

Existe um limite de malas, e limite de PESO também. Não é só porque coube tudo dentro da mala que está tudo certo. Verifique antes se você não está “passando dos limites”. Leve só o que realmente for necessário. O básico deve ir na bolsa de mão, dentro do avião.

No episódio “arrumando as malas” você verá algumas dicas.

Durante a viagem de avião

Chegando ao Aeroporto:
Você poderá levar o carrinho do bebê até a porta do avião. Lá a equipe guardará o carrinho para você, e te entrega na saída.

Se seu bebê é pequeno, leve um canguru ou sling. Pode ser sua salvação para ajudá-lo a dormir.

O aeroporto não é passarela de moda. Lembre-se de colocar roupa confortável e fácil de tirar no bebê, pelo menos durante o vôo. O mesmo vale para você, se for fazer uma viagem longa, é melhor estar confortável.

Dentro do avião:

O principal incômodo para o bebê na viagem de avião é a sensação pressão nos ouvidos, que nós também sentimos e ocorre durante a decolagem ou pouso. Mamar ou chupar a chupeta nessa hora alivia essa sensação.

Além disso, é importante que o nariz dele esteja bem limpo. Você pode lavá-lo com soro fisiológico antes do vôo.

Às vezes um enjôo ou dor podem precisar de para ajuda para aliviar. Uma boa dica é comparecer a consulta com seu Pediatra antes da viagem, ver se está tudo bem com o bebê para ir viajar e perguntar se ele pode prescrever algum remédio caso seja necessário. Sempre leve a receita com você durante todo o vôo.

Igual que na Viagem de Carro, você vai precisar de todo seu Arsenal para Distrair a criança durante essas horas: vale levar livros, jogos, celular, tablet, os brinquedos preferidos. Não esqueça dos objetos que ajudam ele a dormir, cobertor, paninho, ou bichinho.

Se tudo der errado, Mantenha A Calma! Crianças choram. Às vezes, mesmo sem motivo. Não fique envergonhada só porque algumas pessoas ficam te olhando como se você fosse um extraterrestre. Os que tem filhos te entenderão, os que ainda terão, um dia passarão à compreender que não podemos controlar tudo.

Um casal que viajava com gêmeos de 3 meses pela primeira vez, fez uns “saquinhos surpresas” com bombons e uma cartinha “escrita” pelos bebês, onde eles pediam desculpas antecipadas, caso perdessem a calma, ficassem com medo ou com dor de ouvido.

É claro, que isso não é necessário, mas é uma idéia original e bem-humorada de enfrentar essas situações em vôos longos (acho que vou precisar de uns 200).

Alimentação:

Você sabe que a comida do avião não é nenhum Restaurante do Guia Michelin. Se seu bebê mama no peito, ótimo. Se ele mama mamadeira, leve a quantidade de leite necessária para o vôo naqueles dispensadores de leite em pó. Tenha sempre um de reserva. Se ele já come, leve papinha industrializada que ele já esteja acostumado. Você pode pedir para a equipe esquentar.

ALGUMAS companhias oferecem papinhas se for avisado com antecedência. Informe-se antes, mas eu prefiro não arriscar uma papinha nova que ele nunca comeu.

Higiene:

Troque a fralda sempre que necessário. Se seu bebê é grande, provavelmente o fraldário do banheiro do avião será pequeno para ele. Leve o trocador portátil, aquele impermeável e forre o seu assento para trocá-lo. Sem Vergonha Mesmo. Não deixe de trocar a fralda, você não quer que ele chegue ao destino com assadura.

3) O Depois:

Agora é só aproveitar o passeio e descansar. Na volta você já terá mais experiência e será mais fácil. Não esqueça de voltar aqui para contar como foi e o que você recomenda fazer.

Fonte: Seu Pediatra

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*