Início / Aviação / Comissário de Voo / Comissários de bordo: o sorriso simpático, esconde uma lágrima de saudade
comissarios-varig

Comissários de bordo: o sorriso simpático, esconde uma lágrima de saudade

Várias perguntas surgem sobre a profissão de comissário de voo. São jovens pensando em fazer o curso e jovens que já estudam querendo saber mais sobre o mercado de trabalho, companhias aéreas com seleções em aberto, etc.

Por isso, hoje vamos ajudar nossos leitores, falando mais um pouco sobre a profissão de comissário de voo. Na foto, turma de tripulantes de 1990 da antiga Varig.

Afinal? O que é ser comissário de voo?

Início da profissão

No início da aviação comercial, o transporte aéreo de passageiros era realizado em aeronaves bem pequenas, desprovidas até de banheiros dado o espaço interno extremamente limitado. Aposto que após saber disto, muitos passageiros vão pensar duas vezes antes de reclamar da “balinha” que oferecemos no início do voo.

Com a evolução do transporte de passageiros e o desenvolvimento de novas aeronaves, percebeu-se a necessidade de ter enfermeiras a bordo para assistirem os viajantes em casos de mal-estar e emergências médicas a bordo, dando início a função do comissariado de voo.

Outros serviços

Com o passar dos anos e a aviação civil cada vez mais envolta em glamour e conforto, as atividades que as antigas enfermeiras exerciam a bordo mudou. Para surpreender os clientes, as companhias aéreas investem cada vez mais em serviços de bordo e belas aeromoças, estabelecendo verdadeiros padrões de qualidade de atendimento, que viriam a transformar radicalmente o jeito de voar. Porém, as funções de um tripulante não técnico (comissários de voo) não se restringe somente ao serviço de bordo. Ser comissário é muito mais do que o estereótico que formou-se no imaginário popular. 

– Meu primeiro voo em instrução como comissário de voo

O Comissário de Voo e suas funções a bordo do avião

O comissário é antes de tudo um agente de segurança. A principal função dentro do aviãoo, é garantir a máxima segurança dos passageiros. Serão os comissário de voo os responsáveis pelo sucesso de um pouso de emergência, organizar e comandar a evacuação da aeronave de forma segura, primeiros socorros em caso de feridos, entre outras ações preventivas.

Qualquer rotulação de que comissários de voo são simplesmente “garçons de luxo” é injusto. O serviço de bordo feito pela tripulação é uma iniciativa das companhias aéreas para distrair o tempo dos passageiros e tornar a viagem um momento agradável. É um complemento das atividades do comissário de voo, visto que além de zelar pela segurança dos passageiros, este profissional também deverá atendê-los da melhor forma possível, zelando pelo seu conforto, com excelente atendimento, antecipação de necessidades, boa apresentação pessoal, agilidade e um toque de psicologia, medicina e paciência. Portanto, fica claro que a função de um comissário vai além das bandejas e trolleys.

Entre altos e baixos

Como qualquer pessoa, o tripulante de cabine também chora, sente saudades e passa por problemas pessoais. Por trás daquele sorriso simpático e daquele atendimento impecável, pode estar escondida uma lágrima, uma saudade ou uma incerteza. Quantas vezes, muitos comissários não aproveitaram momentos de tranquilidade a bordo, trancaram-se nos toiletes e deixaram as lágrimas rolarem? Estar longe da família, dos filhos, passar por situações desagradáveis a bordo, sofrer pressão da companhia, voar em escala apertada, receber baixos salários e trabalhar sempre em equipes diferentes, são alguns dos fatores responsáveis para que alguns belos sorrisos desabem em lágrimas e depressão no quarto de hotel.

O artigo da Maria Thies “Dez Motivos pelos quais ser Comissária de Voo mudaram minha vida“, gerou alguma polêmica entre alguns leitores que sabem que não é só de alegrias que vive o profissional. Aqui deixo outra contribuição, afirmando que nem sempre é fácil como muitos possam imaginar.

– 5 coisas que eu amo no meu emprego de comissário de voo

Preconceito
Outra dificuldade na vida de um comissário de voo, é o preconceito que ele sofre em alguns momentos da vida. Em relação aos filhos, muitas vezes são considerados relaxados ao não comparecer em reuniões de pais e mestres na escola. As comissárias sofrem o terrível preconceito de que são mulheres que mantêm relações sexuais com todos os pilotos que veem pela frente. Já os comissários são taxados como homosexuais de forma generalizada.

Salários
Ao contrário do que muitos podem imaginar, comissários de voo não ganham bem. Para ter uma ideia, um comissário de um grande jato, com cerca de 280 pessoas a bordo, voando em rotas internacionais, não ganhará em um mês a quantia gasta em dinheiro que apenas um passageiro pagou pela passagem ida e volta de Classe Econômica daquele voo.

– Quanto ganha um comissário de voo?

A imagem da empresa

Muitos passageiros reclamam de comissários antipáticos e rudes. Considerando os inúmeros problemas que um comissário encontra quando começa a voar é bem possível que um dia dê tudo errado e este profissional não seja o mais simpático possível (um erro!), mas para os aeronautas que estão na aviação por amor, o atendimento deve ser sempre o melhor possível, afinal estão aonde sempre quiseram: a bordo do avião.

O comissário de voo é a imagem da empresa a bordo do avião, é ele quem passa a maior parte do tempo com os clientes da empresa, portanto, é preciso ter certeza de que voar é a sua vocação. Quando se opta pela profissão é necessário ter absoluta certeza de que é exatamente isto que você deseja para sua vida. Para ser comissário, você não pode estar atrás apenas de glamour, pernoites em hotéis, dinheiro ou viagens, mas acima de tudo, você tem que ter amor pelas coisas mais simples que envolve a aviação. Ou seja, você tem que amar a galley, o trolley, o interfone, as máscaras de oxigênio, a porta, o bin, enfim, tudo o que esteja dentro do avião. Antes de tomar uma decisão, pense se você está pronto para amar um saquinho de enjoo (cheio).

– Como ser comissário de voo?

Para quem quiser atuar na profissão, os requisitos básicos são: Ser maior de 18 anos, ter 2º. grau completo, e frequentar uma Escola de Aviação ou Aeroclube homologada pela ANAC, cumprindo o Programa de Ensino com parte teórica e prática. Após a formação técnica na escola homologada, deverá prestar um exame na ANAC e obter nota suficiente em todos os grupos de matérias. Além disso, com a competição cada vez maior entre as empresas aéreas, muitas companhias têm exigido a fluência em pelo menos um idioma, boa aparência e uma série de outras qualidades que serão postas em prática na hora do treinamento, como eficiência, praticidade, desenvoltura, comunicação, entre outras.

foto: arquivo site

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*