Início / Aeroportos / Primeiro Boeing 747 da Qantas a realizar o mais longo voo comercial da história faz sua última viagem
747-400 VH OJA 1_red

Primeiro Boeing 747 da Qantas a realizar o mais longo voo comercial da história faz sua última viagem

O primeiro Boeing 747-400 da Qantas, célebre por ter realizado o mais longo voo comercial da história, de Londres a Sydney, realizou no último domingo (8/3) a sua última viagem e também a mais curta de sua história- de Sydney a New South Wales, na Austrália.

Depois de menos de 15 minutos de voo, o B747 da Qantas (VH-OJA) aterrissou no aeroporto Illawarra (New South Wales) às 7h47 (horário australiano) e foi entregue à sua nova casa, a HARS- Historical Aircraft Restoration Society – onde se tornará o único B747-400 em exposição pública no mundo.

– Voos mais longos do mundo

O CEO da empresa, Alan Joyce, declarou que a doação da aeronave ao museu HARS irá proporcionar não só uma grande atração turística, mas também uma oportunidade para preservar uma parte importante da história da Qantas e da aviação.

“Ele entrou para as páginas do livro dos recordes, revolucionou o transporte aéreo para os australianos, marcou uma enorme proeza técnica para Qantas e levou milhões de passageiros para suas aventuras globais e depois para suas casas novamente. O nosso B747-400 “City of Canberra” é muito merecedor de uma aposentadoria graciosa como estrela em um dos museus de aviação mais prestigiados da Austrália“, disse Joyce.

“Enquanto ele ocupa seu lugar de direito no hall da fama da aviação no museu HARS, vamos ser lembrados de seu legado duradouro como um grande pioneiro da aviação, um legado que continua a inspirar e guiar o espírito Qantas de inovação, engenharia e pilotagem hoje”.

– Viagem de intercâmbio para a Austrália: dicas

O voo de entrega da aeronave, que partiu do Aeroporto Internacional de Sydney para o aeroporto Illawarra, marcou a primeira vez que um Boeing 747 pousou em um aeroporto regional.

Tripulação Qantas

Tripulação do Boeing 747 da Qantas

Os pilotos que operaram o voo final trabalharam com agentes do setor em várias aprovações e procedimentos de treinamento, uma vez que o voo não fazia parte das operações regulares da Qantas.

Uma série de medidas foram tomadas em relação aos preparativos da aterrissagem, incluindo a garantia do equipamento necessário para o pouso em Illawarra e revestimento permanente na aeronave para proteger a pintura por muitos anos.

O interior da aeronave também foi embelezado e os únicos itens removidos foram os manuais de operações de voo da Qantas no cockpit, os carrinhos para as refeições e as flores frescas dos banheiros. Três turbinas Rolls Royce da aeronave ainda têm vida útil significativa e serão usadas em outros B747 da Qantas. Apenas uma turbina será deixada no avião e a Qantas e a HARS farão as substituições necessárias com o passar do tempo.

Ao longo dos últimos anos, a Qantas tem aposentado gradualmente seus B747 mais antigos. Nove dos seus mais novos jumbos, o último dos quais entregue em 2003, foram remodelados e continuarão voando. Desde 2008, o Grupo Qantas já recebeu quase 150 novas aeronaves, reduzindo a idade de sua frota para uma média de pouco mais de sete anos.

A aeronave irá juntar-se a uma impressionante linha de aeronaves famosas que estão na HARS, incluindo a Lockheed Super Constellation, Catalina, Douglas DC3 e DC4 e uma Desert Storm US Army Cobra. A entrega oficial acontecerá em 15 de Março de 2015, para coincidir com o final de semana mensal de visitação da HARS.

Fatos do Qantas Boeing 747-400 “VH-Oja”

747-400 VH OJA 2_red

• 25,3 anos em serviço;
• 13.833 voos;
• 106.154 horas de voo;
• 4.094.568 passageiros transportados;
• A aeronave voou cerca de 85 milhões de KM, o que equivale a 110,2 viagens de ida e volta à Lua;
• “VH-OJA” foi o primeiro Boeing 747-400 da Qantas e foi nomeado “City of Canberra”;
• Foi entregue à Qantas em 11/08/1989 e fez voo de estreia em 16/08/1989, de Londres a Sydney;
• No dia 17/08/1989, ele estabeleceu o recorde por ter realizado o voo non-stop mais longo (Londres-Sydney) dentre qualquer companhia aérea comercial (número do voo QF7441);
• O voo e a subsequente atenção da mídia ao redor do mundo naquela época destacaram o papel da Qantas como líder na aviação comercial de longo alcance;
• Todos as aeronaves B747-400 da Qantas foram nomeadas ‘Longreach” como uma homenagem a seu lugar de origem e para demonstrar o longo prazo da aeronave.

Com informações da ViaNews Comunicação Integrada | Fotos: Divulgação

1 Comentário

  1. Francisco Pinheiro

    Pode isso? Tem tantas empresas por esse mundão afora que nem em sonhos pode ter um B747/400 e a Qantas ja manda um pro museu…
    Coisa de país que tem uma economia forte mesmo…

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*